quarta-feira, 26 de outubro de 2016

A Flor Isabella

Num dia de Sol
Nasceu a Flor mais bela
Podia ser cravo, podia ser rosa
Podia Margarida ou Angélica
Mas o destino preferiu Isabella

Com sorriso maroto e face singela
Séria e pensativa
Como se fosse fazer uma "trela"
Explode num riso sincero
Que é característico só Dela

Colhe inocentemente flores no jardim
Sem perceber que fincou raizes no meu coração
Acaricia meus cabelos como um anjo
E perfuma minha vida como jasmim

Da seus primeiros passos na vida
Olha curiosamente o mundo
Enxerga com a inocência
Este universo tão obscuro

É a esperança que nasce
No jardim da vida e do meu coração
É a luz divina
Materializada em nossas mãos

Bela Isabella
Menina do meu coração
A tia te ama muito
Que chega a ser imensidão

Imensidão que não finda
Que cresce como gramíneo
E invade como orquídea
Fincando raizes
No fundo do coração

Minha Flor querida
Seja sempre Bella
Cresça como as altas palmeiras
Mas não perca o perfume nem o doce
Permaneça com esse sorriso maroto
Que tanto me alegra

Seja sempre a bela Flor
Que como perfume de rosas
Flutua no vento
Com um canto suave
Que sussurra "Isabella"

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Lágrimas

É tarde
Tarde para mudar o que fiz
Tarde para me conter
Tarde para chorar

À tarde, rego as plantas
Rego-as de lágrimas
Lágrimas solitárias
Lágrimas solidárias

Pela manhã, lágrimas se formaram em gotas
À tarde em rios
À noite em cachoeiras

Lágrimas e mais lágrimas
Regando as frontes e travesseiros
Cobrindo de rubor a face e os lábios
Tornando os olhos pesados e inchados

Quantas lágrimas cabem em mim?
Quantas cabem dentro de nós?
É um rio perene que não finda?
É fonte inesgotável este sofrer?

Oh, lágrimas minhas
Me façam desfazer-me junto a ti
Me torna água e me deixe escorrer pelos rios
Torne-me a Ariel de Andersen

Faz-me espuma
Na imensidão do mar azul




sábado, 1 de outubro de 2016

Música: poesia de sons e silencio.



Música, poema de sons e silêncio 
Tradução sonora da alma humana
Música que cura, que sara
Música que inspira e afaga

Dos fortes acordes de Beethoven ao silêncio de Cage
Da calma de Jobim ao peso de Osborn
Da doçura na voz de Nara à força de Elis
Da poesia trovadoristica de Renato ao Rap político de Sabotage 

O que é música, senão alma?
O que é música senão amor?
O que é música senão dor?
O que é música senão felicidade?

Música é a transcendentalidade do inconsciente humano
Música é a humanização do ruído
Dos batuques africanos que pulsam no coração.
Dos cantos indígenas que exaltam a natureza

A música permeia o mundo
Está no barulho do mar
No som dos ventos
No canto dos pássaros

A música está nos amantes que se enlaçam
Nos joelhos dobrados que rezam
No corpo que baila
Nos olhos que choram

Música que reflete a dor
Música que define a sociedade
Música que faz dançar
Música que nos permite sorrir

Esta é a essência da música
Ser a alma descrita em Söns
Os medos e os desejos
Música é a arte dos amantes.