quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

30 anos depois...

A exatos 30 anos uma vida havia sido tirada. Assim como muitas vidas são perdidas pela estupidez humana, esta vida foi tirada por 4 tiros disparados por alguém que se dizia um fã. Podia esta ser uma história como tantas outras que ouvimos por aí de assassinatos em brigas de bar ou de trânsito. O que dá a esta história um sentido especial é a de que a vítima era John Lennon, uma pessoa pública e cuja influência musical é provavelmente a mais importânte do século XX. Mas existe ainda um dado mais interessante e bastante curioso: John Lennon era um defensor fervoroso da paz. Ora, muitos podem pensar que a paz é um bem desejado por todos, mas são bem poucos os que verdadeiramente lutam pela paz e utilizando as armas corretas. Enquanto muitos empunham armas em nome da paz, Lennon fazia um protesto silencioso na cama de seu quarto. Mas o homem que, embora não pregasse nenhuma religião, pregava tanto pela paz acabou tendo a vida tirada pela violência. O dado curioso relatado anteriormente é que não são poucos os casos de defensores da paz que acabam em assassinatos. O caso mais famoso é provavelmente o de Jesus Cristo, morto pela conspiração que o colocou como um rebelde que ameaçava o Estado. Não estou comparando Lennon com Jesus, apenas relatando um fato. Da mesma forma, Martin Luther King lutava pela paz e igualdade e teve a vida tirada. Gandhi fazia greve de fome para evitar Guerras Civís na Índia e também foi morto. Podemos citar muitos outros exemplos que nos farão perceber o quanto ainda estamos longe da paz que todos dizemos que sonhamos. Estes mártires não podem ser esquecidos. Devem permanecer na nossa memória para nos mostrar que ainda é preciso lutar pela paz, mas lutar sem utilizar a violência. Afinal, como dizia Lennon: All We Need Is Love.

Nenhum comentário:

Postar um comentário